Para onde estamos indo…

e qual é a brisa da volta, que te trás de… e ao olhar para cima, o que você vê é aquilo que é, aquilo que realmente se… é engraçado de pensar, leia devagar, as risadas cortam o rosto, imaginem que loucura, se o que somos e viemos, uma desculpa de toda maluquice infantil, é que os nossos “pais e mães”são aliens… ouviu!

Hahahahahaahahahahahahaha!!!

um delicado beijo em sua mão, ela dormia tranquilamente e o som da TV contava uma história fantástica sobre uma tecnologia que nos fazia entrar em contato com algo que não imaginamos de verdade o que serão… e não são cabeçudos acinzentados e baixinhos, ah, não!

Hahahahahahahahahahahahahahhahhahahaha!!! e mais… hahahahaha… ahhaha … aiai… ahahha… ahhh… =D

poxa vida, tanta imaginação, sim, estamos tendo uma falta danada de criação… talvez seja falta de aptidão, não… ele crê que não, é bloqueio criativo, devaneios indecisos, sem razão… existem jeitos de mentir para si mesmo, mas sabemos lá dentro que isso não há de se esconder, se não veio do berço de ouro, há de trabalhar para vencer… se é de sua escolha, pense bem, ninguém é obrigado a nada, e ninguém tem que “têm”…

mas eu penso humildemente, e creio que estarão por aí, voando pelo “tal”universo, aquele que acredito existir (?), por que usar de seu tempo, por mais que esse seja valioso para nós humanos, e nós o desperdiçamos, justo por isso, e por outros “aquilos“, estamos em guerras contra nós mesmos, e por que? por que? essa pergunta ecoa no universo que acreditamos existir… ??? por que?

Menos é mais… ?!

E então ela caiu em uma realidade sinistra… Era uma sociedade atropelada por muitos processos vividos apenas pelas emoções, criando regras que beneficiavam somente esses seres que se sentiam superiores por conta, naquele primeiro momento, de sua força física…

Só que ninguém recebeu um manual e creio que ninguém gosta de apanhar… e essa superioridade errônea criou desavenças que só ampliavam a partir da diversidade que essa espécie possui…

Ela ficou triste, chorou até cansar seu corpo, que a obrigou a dormir… E quando acordou chorou de novo por não compreender que sua existência tinha sido traçada há tempos, e que só havia alguns caminhos possíveis, e apesar da dor de ter de se encaixar nessa tal sociedade…

Acredite, não é só com você, é um todo, para um todo… E contra um todo… Pois infelizmente nessa espécie, alguns absurdos foram cometidos e continuam por que ninguém enxerga um além, ou pior, tem conformismo demais por aí… Ou ainda mais louco, tem gente que escolhe o “mal”… Ninguém tem uma resposta lógica para essas escolhas e para onde fomos até o momento presente… Caminhos de guerra, dores, e atrasos científicos e filosóficos e sociais, tudo por que alguns só enxergam seu próprio umbigo… E ela se decepcionou por que um dos monstros era seu próprio pai…

Acredite, não é só com você… Até hoje se pensarmos direito, a formação de família nunca foi uma possibilidade pensada justamente, ou estou errado? Família é escolha, não é para sofrer mais do que já temos… A sociedade já é chata o bastante pelas regras que nem sabemos de onde vem e infelizmente, temos que seguir.. Será?! Risadas múltiplas de uma mulher que caiu de paraquedas e agora está entendendo que o jogo é chato também…e então mais risadas!

rumores…

fjslkjflesdxcaadscaezd´pnf,sdnf,spwweeenicsçzmxk……….. hsdhfoisafsl,mxc,mvsfoiwe………. slfjslkjfsiozl;;;;; lsjlkfjlsd;;; arranque suas mordaças!!! arranque suas presilhas… lasjdljflsj…lkjsjdflljd… arranque a venda dos olhos… … … estou cansado, ou estamos… ljsfdlkfjsld… e não conseguimos falar o que precisamos…

é de amor! só isso… =)

Precisando Mudar Suas Maneiras…

batidas… em um só ritmo… alcançarão decibéis que seus neurônios não irão entender ao fazerem suas conexões enviadas pelos ouvidos… o corpo irá balançar, não tem como segurar, na real, nem como pensar em não se movimentar… é inerente a vida… movimento é vida…

o que são as linhas e as cores… que estão sempre brilhando e voando em velocidades absurdas de movimentos serpenteados… para de brigar consigo mesmo, o cérebro dizia… você é capaz de fazer qualquer coisa, qualquer coisa mesmo… esquece o gênero, o tamanho, a forma, ou qualquer outra característica idiota que faz um ser humano acreditar que é melhor que o outro por conta de… ter!… no bom e velho português chucro, “ter é ô caralho!”… cansa demais e não faz sentido lá na frente quando tiver de frente pra única coisa certa que está a espreita…

eles falam que existem guerras para lutarmos, coisas a se fazer para um tal de vencer… entendem o sentido dessa palavra… vencer… viemos nessa vida para vencer… só não explicaram que era um jogo… ou que uns jogam de um jeito e outros de maneira completamente diferente…

porém e o mais legal, ninguém contou a eles que tem gente que não tá nem aí pra esse jogo… e daí minhas queridas pessoas humanas que estão passando por aqui, pensem um pouquinho no tamanho da loucura, por que ele estava sentado ali de boa em um balanço de madeira fazendo o que mais gosta e curtindo a visão de sua janela… por que cada um não tá cuidando do seu jardim? ele pensou sobre de um jeito mais humilde, tentando não julgar, olhar de fora… como dizem… fez os olhos rodarem nas órbitas…

opa, peraí! era um conto sobre música, dança, artes… sempre elas… as que inspiram e expiram amor… nos salvam… ele tinha se perdido um pouquinho, como falei, estava bem cansado de tudo isso… ouviu a batida de novo… viu as luzes coloridas… viu as danças e os sorrisos… viu o sentido de tudo de novo… e pensou em escrever um novo conto…

juntos e de novo…

olhou de esgueira pela janela e em seguida fechou a cortina suspirando…

seria profundo… se a memória não falhasse tão rapidamente… alias o stress é de tal intensidade que não dá muito tempo para pensar ou sentir… a não ser os sustos… muitos!

e depois de algumas semanas, imagino o tempo pela comida sumindo da minha despensa… e pelos cigarros entupindo os cinzeiros espalhados pelo pequeno apartamento… acho que foram duas semanas até agora… e então um longo…

……………………………………………………………………………………………………………………………….

nada…

……………………………………………………………………………………………………………………………….

um silêncio tão profundo que podia-se ouvir o sangue correr pelas veias e o ardor pulsando por todo o corpo…

estou vivendo isso mesmo? é um sonho eterno?? por que nunca acordo então?… milhões de pensamentos passam pela minha cabeça questionando toda a existência buscando um motivo plausível para tudo isso que estamos vivendo hoje… seria mesmo o apocalipse… como nos filmes, iniciado por um vírus… algo tão ínfimo em seu tamanho e gigante em sua existência…

e logo em seguida os barulhos voltaram ensurdecedores… eu torci para que ninguém batesse em minha porta… pedindo por ajuda… ou aquelas coisas…

virulentas… o preconceito é o pior inimigo da espécie humana… deixaremos de nos ajudar, de ajudar os próximos, até aqueles que falamos que amamos mais que tudo, para nos salvar… é mentira isso?

Conectados…

De onde vocês estão me assistindo? Eram bilhões de canais de redes sociais, que o publico acompanhava muito mais do que naquele velho aparelho de tv…

Cachorros deitados, cachorros em pé, vocês procuram por comida aonde? E as redes sociais entopem seus armários e a velha geladeira da cozinha com azulejos velhos também… E com aquele montão de desperdício…

De comunicação extraviada, parecendo um gigantesco “telefone sem fio”… Vocês lêem A, o autor escreveu nas entrelinhas e quem não pegou entendeu Z… E adivinha quem contribui um tantão com isso tudo, cacofonia intermitente… Ele desligou de sua rede social e sentou-se aconchegante em um sofá qualquer…

Não quero assistir mais ninguém por hoje… E amanhã me ligo para que vocês me assistam também… Os frangos continuam girando em suas televisões, e os cachorros continuam babando…

Eu sou a alegria de viver Arte!

Uns gostam da crítica e a acham positiva…

Tem gente que não gosta e a acha negativa…

Tem gente que acha normal criticar tudo o que está do lado…

E tem outros que se sentem tão mal criticados…

Agora uma coisa que não entendo, eu aqui produzindo no meu cantim“…

E se você não produz nada, por que vai me criticar com esse “dedim“?

Dizem que é por que estou tentando algo novo ou interessante…

Mas mais interessante que cada um cuidasse da sua vida…

E produzissem seus sonhos viajantes!

O Eu Interior…

Mais um dia de lua cheia… Mais um dia de dor e transformação… Agora mais que nunca eu entendo meu corpo e sei o que estou fazendo… Só não tenho controle sobre o instinto… E daí, a única coisa a fazer é…

No outro dia quando acordei foi como se eu tivesse tomado um porre homérico… Meu corpo suplicava por água e meus ossos doíam em todos os lugares… Sentia todos eles latejando e se reconectando à sua forma original…

Sabe quando os dias transcorrem normais, feito os rios cimentados pelos homens, direcionando todo o fluxo para um mesmo ponto, pois é… Um noticiário disse que haviam encontrado pelo menos três corpos diferentes na cidade, além de uma vaca nos campos ali por perto…

Fiquei pensando sobre essa coisa toda… Se alguém que eu mordi, e não engoli direito, que acabou não… Morrendo… Sobreviveu e agora está se transformando também, propagando esse vírus maldito…

E se eu me encontrar com um desses? Como seria??? Como seria a luta entre dois seres místicos e sobrenaturais, que ninguém acredita existir?! Eu fui atrás da origem daquela notícia… E eu cheguei em mim mesmo…

Situações…

“você coloca o gelo antes no copo para por a coca-cola?!” ele perguntou indignado… “uai e qual é a diferença de colocar o gelo primeiro?” ela devolveu… “por acaso isso altera em que?”… continuou… e ele franziu o nariz e ficou pensando se teria alguma resposta ou algo inteligente para falar… porém não pensou em nada…

terceirizar problemas… viver de problemas… os primeiros tinham que caçar para comer… ou esperar o tempo produzir o divino alimento…

o bafo do café deixou seus óculos embaçados criando uma situação cômica… ela soltou umas risadinhas e ele mordiscou um pedaço da geleia de mocotó… “esse café está quentinho”, ela continuou… “porém um pouco amargo!”… ele olhou para o lado e ficou feliz… esticou a mão e estendeu a ela o baseado enroladinho. a gata branca de olhos amarelados ronronava entre suas pernas pedindo colo, e ele deu…

você percebe que independe do lugar que você está, mesmo que não possua as características parecidas com a daquele ambiente que você adora estar, a vibe, sempre te trás essa mesma sensação, como se seu cérebro aceitasse ser enganado, pois você consegue até sentir o cheiro da maresia… e quando anda pelas ruas em que os locais posicionam-se no centro, calçadões cheio de lojinhas entre lojas enormes caracterizam tudo com uma paz que o faz se tornar a si próprio…

é muito curioso e uma grande vantagem da mudança, é permitir se criar sempre… e si criar também!… sem música nenhuma e com muita inspiração, quando parece que os olhos da águia alcançam aquele coelho, não há nada no mundo que a faça parar, e seu erro só irá acontecer por si mesma… e o acerto, idem!

Qual a Sua Música… ?!

É uma beleza o que está acontecendo, maravilha, levante seu corpo, não vá esmorecendo… esconda os trens ruins que não conseguimos entender e muito menos controlar, já passou da hora, vamos seguir pra cima, vamos nos esbaldar!

Em um ritmo frenético, essa cidade que não para, estamos sempre a procurar um lugar que te sara… certo de que é outro lugar que eu quero, e fazer umas visitas momentâneas, são Paulo é uma cidade que venero…

Ações subliminares não pega para quem tem experiência, é a gente que limita nossa razão à paciência… Esperar é um processo duro, porém é em um susto, vai sair do escuro!

Não finja que não se mostrou, por que eu nessa vida, vi, vivi e sei do que sou capaz, está longe de me conhecer, tenho muita história para contar, segue essa ideia meu bom rapaz…

Segue o som tá levinho, tá gostosinho, tá pra estrada e pra balada, na pista vamos ganhar… Na pista vamos ganhar… 😉