O Mundo

XXI - O Mundo

Não faça não para você ver o que acontece. A vida está ai cara, está passando. Pelo menos é essa a sensação, e você está me dizendo, ou pior, está deixando de realizar coisas bacanas por conta de que mesmo… O mundo está aí para a gente se divertir. É enorme e com tanto espaço cabe tantas coisas lindas, tantas aventuras emocionantes em diversos sentidos. Muitas culturas variadas, muitos gostos diferentes, então mesmo que não concordemos em alguma coisa pode ter certeza que em alguma coisa iremos concordar também.

Vemos as coisas e tudo parece meio de cabeça para baixo, mais confuso e desorganizado do que imaginamos que seria, ou do que filmes e histórias nos contam. Isso é o tal “ser adulto”? Não dá para largar um pouco suas crenças e respeitar a dos outros? Ou que tal parar de falar que deve fazer assim ou assado por que teoricamente é o certo e praticar. Que tal mais atitude e menos falação? Assim caso as discordâncias apareçam, é só exercitar o respeito, então que tal mudarmos esse mundo. O melhor para o nosso mundo!

Só vai!

Essa inter-relação criada por um sistema de convivência competitivo e cruel. Imagino pessoas o tempo inteiro, elas possuem seus valores próprios, as formas como executam as coisas e aquilo que acreditam. Todos acreditam que é o certo, mesmo que tenha que matar, roubar, ou ter qualquer outra atividade ilícita que possa prejudicar o próximo. Isso não está escrito em nenhum mandamento, regra, lei, nada. Nenhuma das coisas criadas pelo ser humano em termos de sistematizar a vida cotidiana permite algum tipo de agressividade, seja psicológica ou física. Explica por que vivenciamos e assistimos isso em todos os momentos de nossa ínfima existência humana? Depois falam apontando seus dedos, dando seus rótulos e julgando acima de seus títulos. Existe um coletivo gente, uma massa humanoide formada por seres distintos e únicos, porém que funcionam como as bactérias, vírus e células. Multipliquem-se, mas no bem. Então as opiniões e ou mesmo escolhas, servem de base para essa coisa toda. Tem certeza disso bicho? Complica minha cabeça mais ainda, por que a única coisa importante disso tudo, só visualizo uma, e acredito piamente que funcionaria, é o respeito. Sendo dado com sinceridade, mesmo que as vezes a verdade seja algo que não queremos, que despejamos como lixo, mais um tipo de desperdício. Só vai se lembrar uma vez, mas pensa que volta mil para consertar um erro tão pequeno. Então treina a mente, faz ela funcionar com força, imagina o contrário, realiza o contrário, pratica o contrário. Faça o bem, caminhe no bem, execute o bem. Vamos mudar, é o que todo mundo está dizendo, dentro de seus olhos tristes e inquietados, pois o medo dela é algo absurdo, nascemos e ao longo dessa pequena insensatez biológica, química e energética, tem que ser sentido o prazer. Cada uma daquelas coisas que acreditamos que seja o tempo, e curtir o que se está fazendo no limite, de verdade, sentido. Está sentindo as teclas, as letras, a energia disso tudo, você faz por que gosta, por que lhe faz bem. Você sorri, esse sorriso contagia, você mostra uma disposição enorme e ninguém entende o por que. É simples, realiza o que você acredita ser bom para você, é como uma onda circular, ela vai ganhando espaço e quando toma novamente consciência, você pode descrever, mais uma vez, junto com o universo, um só, o orgasmo perfeito!

Sedução

Sobre as trocas e as vidas em suas casas. Tão agitadas. Porém, muitas vezes sem alma, sem calor ou energia. Houve certa preocupação na conversa, afinal de contas moravam os três juntos. Enquanto empurravam o carrinho de compras descontrairam-se com risadas sobre os assuntos, e agora, se encontravam sentados no enorme sofá com formato de L, tentando escolher algum filme no Netflix.

Após o banho ela havia colocado uma sedutora camisola de tecido leve e preto, e estava deitada toda lânguida, e ele se encolhendo para conter o desejo. Conversavam e ele evitava olhar, porém em um momento ele reparou que um de seus seios estava para fora, o cabelo longo jogado e aquela pose receptiva ao amor.

Em sua cabeça visualizou todo um cenário de longos dias de sol, sexo e alegria. Quando ela acordava encontrava-a em trajes diminutos, às vezes suada da ginástica e se perdiam em seus corpos, em seus delírios, de palavras indistintas, de beijos molhados, de não sentirem culpa.

Quando ele foi embora naquela manhã radiante, cruzaram promessas, abraços apertados e um breve adeus àquelas histórias, que apesar de serem agora lembranças, eram somente os desejos de sua memória.

“Mentalogia”

E agora com uma existência questionável não só pela dificuldade absurda em entender um sentido, uma galera falando que somos a única espécie inteligente por que somos especiais em um universo imenso, ou pelo menos é o que parece ser… E em um outro lado, outras opiniões divergentes, são vários grupos, que se acham diferentes por que fizeram seus caminhos particulares. Nada contra, válido até demais, a questão é, nenhuma delas responde a essa intratável pergunta sobre o sentido. A loucura se estende quando falam que a escrita, ou as palavras, ou melhor ainda, a forma como nos comunicamos está atrasada, ou é obsoleta demais. Se estamos em um estágio da evolução onde ela se faz necessária, a palavra escrita e falada, e até mesmo os desenhos, formam um conjunto de ideias que facilitam o interesse comum entre os diversos povos e suas mais vastas culturas. Desculpe as raças alienígenas, aos espíritos e outras entidades que podem se comunicar sem boca, como assim vocês não “beijam”? Na boca? Caras, tem coisas boas e coisas ruins, até mesmo em níveis de excentricidade intelectual. De verdade, e para aqueles que criam as leis e as regras para tudo, uma ditadura disfarçada que não nos serve para nada em um pensamento evolutivo de bem comum para todos, e o simples assim. E por sermos humanos passíveis ao erro, as vezes nem tudo serão flores, e tudo bem também, sabemos que há espinhos, e sabemos como evitá-los, certo? Ou pensamos que sim. A infinidade de possibilidades que quando a pouco tempo atrás se pensou seriamente sobre a palavra escolha ou suas lógicas, que é como as explosões minúsculas que estão acontecendo agora por todo o microcosmo do meu ser para escrever esse texto, mesmo sabendo que se meu público alvo forem seres de fora da terra, seria melhor eu usar “mentalogia” ou como emitir comunicação inteligível para seres que assim se comunicam. E o mais engraçado é pensar como são aqueles que não precisam de oxigênio para viver. Medo!

Puro e Universo

É nessa hora em que você sente tudo, seu cérebro parece em festa, você sente calor e frio ao mesmo tempo, e isso aumenta a sensação de prazer. Dura muito pouco se não se concentrar em ampliar esse momento. Falo com a devida clareza de que vale muito a tentativa. O raio segue um caminho, você pode escolher senti-lo nas veias, nos músculos ou nos orgãos. E pode ser tudo ao mesmo tempo também. O corpo inteiro irá perceber as mudanças, o vôo descoordenado, o caminhar sem um chão sólido, ou uma pancada que você sabe que aquilo provavelmente irá te arrebentar inteiro e a dor será tamanha que seu cérebro não consegue processar onde e o que está acontecendo com partes do seu corpo. Você flutua. E uma das coisas mais fascinantes da mente é você criar alguma coisa, e acreditar em como aquilo poderia ser, no entanto, quando acontece, apesar de nem sempre ser o literal, o contrário, e a surpresa é tão boa quanto o sentimento que está tendo. Você está em frenesi. Essa força de que a máquina está trabalhando a mil por hora, imbatível, perfeita. Quando volta a perceber racionalmente, seu computador interno sente o sangue correndo quente pelas veias e artérias, sente quando passa rapidamente por orgãos e esses fazem um movimento de reflexo como um arrepio dos pelos dos braços. O coração bate tão rápido que em algum momento parece uma taquicardia. Só que de pura alegria. Ele pulsa forte, os ossos das costelas e aquele grande e triangular que fica no meio prendendo tudo, são pequenas dores, e curioso, seu cérebro processa isso junto com prazer. É essa mistura que pode parecer um tanto contraditória que incita seu corpo inteiro a responder positivamente, se a entrega for verdadeira. Uma das mágicas da vida é imaginar, ou melhor, raciocinar que tudo o que vivemos no momento agora é a primeira vez, sempre é a primeira vez para tudo, e por mais que no dia a dia acreditamos que ou foi ou vai ser que é o que importa, e fazemos as coisas pensando nisso, se ficar quieto, em silêncio por apenas um mísero segundo que seja, percebe tudo em volta e tudo é uma coisa só, teorias a parte, big bang que se exploda, é o que está acontecendo em nossas células nesse momento intenso, único, seja trocado com uma ou mais pessoas, seja sozinho, seja como for, se acredita dai ter algum sentido… E é só êxtase.