Homis…

era para ter sido só mais um dia comum, daqueles que você aproveita tudo o que pode, cumpre suas tarefas e faz aqueles “checks” da vida que te deixam bem…

se lembram daquele conto em que tinha uma pessoa que se esgueirava por trás da cortina, para ao mesmo tempo se esconder e ver o que estava acontecendo do lado de fora…

pois é, era eu… e agora é real! O mundo se tornou um caos!

Meu nome é Elisa, e tenho vinte e quatro anos… estou vivendo no inconstante mundo dos… “homis“… é dá até medo de falar isso, mas os machos da espécie humana, que já não era lá grandes coisas para um mundo mais bacanudo de se viver, tornaram-se zumbis… todos! todos eles, todinhos, não sobrou unzinho só para contar história… não que eu tivesse visto… e como morro de medo de sair daqui de casa… e assim eu os chamo… “homis“!

Na real eu nem me importava muito se tivessem extinguido os machos e continuaríamos só nós, as fêmeas e tudo muito mais suave, vocês sabem né… Eu tinha uma namorada… uuff (soluços)… aiai… (mais soluços), e agora algumas lágrimas lhe escorriam o rosto pouco sujo pela falta de água…

Estávamos na lanchonete da esquina comendo um sanduiche e tomando um suco em uma taça enorme parecendo aquelas de sorvete, quando de repente um acidente horrível aconteceu bem na nossa frente… e pessoas saíram correndo e gritando muito… olhei para Cassia, ela estava paralisada de horror… demorou alguns segundos para que pudéssemos perceber realmente o que estava acontecendo do lado de fora, e que poderia adentrar o lugar em que estávamos…

duas semanas… passou tão rápido, foi tão rápido… não respeitamos as primeiras notícias, os primeiros desastres, não nos cuidamos nos primeiros dias pois podia ser algo passageiro como uma… gripezinha… Cassia levou uma mordida na perna direita, bem na batata, enquanto tentávamos chegar na casa dos pais dela, alguns quarteirões da lanchonete…

para mim demorou uma eternidade para estarmos sentadas no sofá com a mãe de Cassia gritando desesperada, enquanto ela ligava para o celular do pai… mudo… tu… tu… tu… nenhum sinal… e é quando percebemos o quão louco são os homens, que se tornaram “homis” por conta de um vírus criado por eles mesmos, para continuar enriquecendo a indústria farmacêutica em nome do progresso e da civilização… afinal, qual humano não iria querer pagar caro por um tratamento ineficaz de uso contínuo prescrito por outro “homi“! Já eram zumbis por gostarem de causar guerras e uma luta enlouquecida por poder… poder de que…

agora estou sozinha… não vi nenhuma outra mulher… nenhuma outra menina… nenhuma outra senhora… ninguém… estou… so… zi… nha…

“das séries contos curtos que continuam… =)”

Autor: pericles

Uma pessoa apaixonada por artes em todos seus âmbitos, um artista, um professor, um escritor entusiasta desenhando com letras! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s