O Hoje, o ontem e o amanhã…

começou daquele jeito esquisito de sempre…

ou às vezes é pensado… os mitos dos próprios estão em seus…

escritos?… ouviu a fechadura da porta…

ouviu uma música que parecia uma bateria ensaiando com um dub

ao fundo…

ouviu carros e motos ao fundo… sabia distinguir pelo barulho infernal dos motores acelerados como a mesma velocidade que acabam com suas vidas…

e se inventamos o amor..

o instinto só dizia para nos preservar…

vidas vazias…

que se gabam por “desenhar projetos”…

o som era da máquina de lavar… dubdubtá!

esse não era um sentimento real… não haveria culpa nem ciúmes…

ao topo de uma montanha imensa… dava pra ver todo um vale verdejante de árvores e sons de natureza… natureza animal…

o instinto animal?!

esse pedia amor carnal…

selvagem…

pássaros e baleias galanteiam suas fêmeas…

ouviu a porta se fechando…

felinos e caninos “estupram”… somos carnívoros?!

e esse som gostoso… e inspirador… baquetas…

que chamam de qualquer coisa, um monte de nomes misturados…

sentidos misturados… teclado, sax e percussão, levinha, levinha…

fumaças desenhando formas como as nuvens e os líquidos quando se interagem…

estão deturpando a palavra desenho… como tantas outras palavras?!

o estômago o chamou para a realidade, quando é que se começa, quando se acaba, o dia de hoje?…

Autor: pericles

Uma pessoa apaixonada por artes em todos seus âmbitos, um artista, um professor, um escritor entusiasta desenhando com letras! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s