O Mar…

Eu acho que a gente se fudeu… e ainda bem que não foi no sentido literal das palavras enxotadas dessa forma para começar um conto que para variar irão acontecer coisas que nos farão refletir um pouquinho, pensando nas hipóteses insanas de que há cientistas “guardando” as memórias de homens milionários mundo afora para que esses, ou essas seriam consciências??? Memórias são ou só fazem uma parte da bagunça?… e dai num futuro usar em um corpo cibernético… e a gente lia os livros de
Isaac Asimov imaginando um futuro cheio de rebuliços loucos como as danças africanas para as luas e para os sóis, mulheres lindas e fortes, homens delicados e floridos, animais os cercavam e não haveria para onde correr mesmo que tentassem sair na correria, quando viram o que um leopardo podia fazer com uma gazela de duzentos e ciquenta quilos pega pela mandíbula, imaginamos o que seria o encontro com um ser desse… e tem gente que defende armas… vai entender, onde está o espírito de aventura real, da vida sem horários marcados, sem fronteiras estúpidas e nem preconceitos que só originam debates sem pudores… eles se amavam, pelo menos em algum momento em que o sol dava bom dia ao som de Raul, podia ser real, estavam diante da única coisa que podia acalmar suas almas, e colocar razão para todo aquele fogo, o barulho suave e constante, ondas serenas, espumas lentas…

Autor: pericles

Uma pessoa apaixonada por artes em todos seus âmbitos, um artista, um professor, um escritor entusiasta desenhando com letras! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s