Uma Curtinha da Estrada…

É por isso que em uma das nossas qualidades enquanto espécie humana é ser um ser sociável, independe de todos os fatores, existem sociedades distintas que nem fazemos ideia, e essa é uma das maiores graças da estrada certo… A mochila estava nas costas após muitos quilômetros e o cansaço e a falta de água começaram a minguar suas últimas energias para continuar. Ou se jogava no mato do lado de um acostamento para descansar ou tentava uma carona, e naquele estado não tinha muito ânimo para balançar o braço ou fazer um pequeno cartaz escrito “carona para…” Nunca sabia para onde estava indo, e isso se tornava um problema quando com o mal planejamento tinha que dormir onde estivesse ou seguir, não havia retorno para esse tipo de situação. O mais curioso é que nunca estava chovendo, sempre havia um sol torrencial queimando tudo, soltando o suor e fazendo o corpo emagrecer pela caminhada. Uma vez recebeu o conselho de um sujeito em uma academia, havia feito para ter a resistência para fazer essas loucuras de viajar a pé. Leve mel, ele vai fazer você ter energia na caminhada, tinha dito o camarada. Ele seguia algumas dessas dicas, mas na maioria das vezes seu modo empírico de levar até ao extremo dos sentimentos para ver como resolver os episódios que se sucediam, e na maioria das vezes tinha esse sentimento de estar vivendo uma espécie de filme e seriado, com capítulos longos para alguns casos, e outros curtíssimos que nem conseguia mais se lembrar. Conseguiu a carona, pensou bem sobre isso e mesmo sendo difícil, em muitos instantes estava sentado dentro da boleia de um caminhão grande ou pequeno, com todo tipo de gente estranha e bonita, com suas histórias ricas e algumas até mesmo assustadoras, mesmo assim, todas elas o ajudaram a seguir o caminho. Era a gratidão que importava, pela troca de contos e momentos íntimos de treze horas viajando de uma cidade a outra, subindo e descendo pelas serras, às vezes montado na cabina daquele gigante de ferro que cuspia suas artimanhas com luzes que ofuscavam o caminho. Dentro de carros, sozinho ou com amigos, ou com outras pessoas, e depois sozinho de novo…

Autor: pericles

Uma pessoa apaixonada por artes em todos seus âmbitos, um artista, um professor, um escritor entusiasta desenhando com letras! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s