Ignore as Vírgulas

O ofício e suas regras seguem como qualquer outra coisa nas vidas por ai afora. Cada qual com suas escolhas, algumas que podem até ter similaridades, no jeito de agir, de atuar, ou mesmo de aparecer. Existem normas para tudo, bastou nascer o ser humano e teve que se criar artifícios para a espécie evoluir de bicho para gente. Não sei ao certo como isso se deu, nem quando se deu, porém tentando elucidar racionalmente, às vezes, e não raras vezes, parece que não está indo muito certo… O executar tarefas roboticamente todos os dias criando uma rotina para por a “cabeça” no lugar, opa, ela não está em cima do pescoço?!, seguindo essas supostas leis que nos colocam mais, digamos, mansos… Não sei não. Outro dia ele leu um monte de coisas, e tentou seguir as regras, e criar suas rotinas, escreve, desenha, produza, mecanicamente, cada vez que você faz, você se aperfeiçoa, o cérebro é como um músculo, basta treiná-lo, colocá-lo em exercícios constantes, todos os dias, toma seu café da manhã, um suco de laranja e uma fatia de torrada, come uma fruta, coloca o tênis de correr, corre e volta para uma ducha rápida e coloca uma gravata vermelha pois a reunião de hoje precisa que as pessoas prestem atenção em sua fala, e ele faz, ele segue, a boiada, o relógio, a calça risca de giz azul marinho, as avenidas lotadas, nenhuma brisa, e quando o olham, param e prestam atenção, ele está sorrindo, largou sua pasta, tirou a porcaria da gravata e estava tirando fotos das árvores, com todos olhando-o de dentro de seus carros parados no trânsito sufocante, pensando quem era aquele louco, ou quem era aquele que curte seu tempo tirando fotos das árvores com poucas e quase sem folhas, e como gostariam de ter coragem de estar ali, junto a única natureza, a que ele sentia falta, por que numa boa, ele amava o dinheiro e o que se pode conseguir com aquela forma cretina e humana de se conviver com outros, de trocar com os outros, porém, nenhuma monetização compra aquilo, a sensação dos pés na grama, do cheiro do mar, da conexão com a natureza, nada e tudo.

Autor: pericles

Uma pessoa apaixonada por artes em todos seus âmbitos, um artista, um professor, um escritor entusiasta desenhando com letras! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s