Trocas…

Foi tudo um planejamento, em cima de um desejo noturno? Cada ato, cada passo, engasgo, solto a fumaça e não quero acreditar. Nada ou melhor tudo então segue esse roteiro, solto que nos dá a falsa sensação de liberdade, quando se criam conexões fugazes, assombrações de pequenos momentos. Haviam sempre objetos dispersos pelos cômodos das casas. Nunca era muito organizado, amigos que compartilhavam tetos, pessoas com suas posses presas em seus diminutos valores. Quaisquer deles, pois não se leva, então, viver parece ter mais haver com as coisas boas que nos acontecem, em instantes que atuamos presentes no momento pelo qual está ocorrendo aquele desejo e imagina a sensação parecida com tesão, e por isso chamamos assim.

Era como se fosse uma flor. Mudava o humor de acordo com o tempo, e nesse caso era como o dia estava, se ensolarado brilhando com céu azul ou chuvoso e cinza com nuvens espessas e o vento gelado. O ânimo vinha disso e ele sentia isso com certeza. Como essa flor, murchava em dias frios e acinzentados. Procurava se recolher, pensava muito mais do que precisava e por conta disso, às vezes se angustiava. No entanto e o que lhe era importante, quando aquele calor fraquinho vinha chegando através de raios solares, e aos poucos o orvalho da madrugada subia para o céu, para encontrar outros vapores e formarem sua sociedade de turvamentos. A cada feixe quente, mais as plantas se abriam, mais as flores se erguiam, para se mostrarem belas e cheirosas e alegres em dias de muito sol.

O concreto sufocante espalhava-se pelas ruas até as saídas da grande metrópole, num contraste de uma mata verde que tentava se sobrepor àquela veia de cor escura cheia de curvas, subidas e descidas. Preferia guiar-se por si só, e por isso o pé estava na estrada, literalmente. Não que não confiasse em motoristas, não confiava. O fato é que o perigo está na hora em que decide sair da cama e ir viver o que tem de fazer durante seu dia… O grande lance é, estamos de fato preparados para as oportunidades, quaisquer que sejam e que nos levará a aventuras e sentimentos que serão únicos e bons e totalmente reais, ou precisamos desse reloginho cronometrando nossos passos e nos dizendo a cada tempo onde devemos estar, pelos deveres que nos propomos… Ou então ligue a palavrinha mágica e deixe-se apaixonar!

Autor: pericles

Uma pessoa apaixonada por artes em todos seus âmbitos, um artista, um professor, um escritor entusiasta desenhando com letras! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s