Contos Curtos!

Ficou um pouco mais lento pois senti algumas necessidades em relação ao livro. Percebi que é muito bom essa liberdade criativa, no entanto às vezes é como se precisássemos arrumar a casa. Não é sempre que rola, mas quando se faz é muito bem feito mesmo! Então dei vazão para muita coisa diferente, e a ideia original talvez nunca tenha sido concretizada, apesar de alguns contos fazerem referências diretas principalmente há lugares em que já estive. Já os delírios é algo que eu amo de verdade, algo que sai tão fluido como água límpida de cachoeira, você pode beber e saber que é a água de verdade, da mãe Gaia, essa energia tem um gosto delicioso. Então não há muito controle, menos até do que a própria arte em si, que eu tento impor meu traço, minhas ideias, mesmo que saia surrealismo, ainda assim o traço é solto, mas com personalidade.

Na escrita flui mais, parece que consigo acompanhar escrevendo as ideias que vão conversando por esses canais de contato direto entre mim e eu mesmo. Por vezes esqueço, no entanto no pensamento de criação, e deixar sair tantos personagens e sabores diferentes, alguns deles eu tomei um gosto danado, e decidi continuar. Os contos são curtos para serem curtidos, um ou dois parágrafos e a ideia foi lançada, seguir dali, se vai virar algo maior, vai saber, mas é mais ou menos como quando você acorda e abre os olhos, o que é a primeira coisa que você faz ao pensar, antes de sair de forma mecânica coçando a bunda em direção ao banheiro, se não for para ter prazer, para fazer um dia agradável com coisas diversificadas e prazerosas. E mesmo as que são mais duras, ainda assim, com o sorriso tangível no rosto facilita um montão o caminhar.

Isso me faz pensar no quanto a criatividade é um exercício, tanto de prática, de observação de outros, dos acontecimentos costumeiros dos dias e noites, quanto das viagens que não por acaso irão nos mostrar um movimento anormal, com outras cores, outras nuances e texturas, e cabe se permitir experimentar, saber se foi bom, e seguir com experiências do tipo, se misturar isso com aquilo, será que fica bom, como uma criança que coloca todas as guloseimas de uma só vez em cima do sorvete tricolor. E por incrível que pareça, como uma experiência maluca de algum cientista que quer descobrir pelo simples prazer que o ato em si possui, a criatividade é assim, lúdica, simples, atrapalhada e por muitas vezes uma lambança total, e contudo, como as nuvens nos parecem, fica muito bom por que ela é afável.

Autor: pericles

Uma pessoa apaixonada por artes em todos seus âmbitos, um artista, um professor, um escritor entusiasta desenhando com letras! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s