Homenagem ao estilo do Velho Safado

Bukowski foi um gênio mais pela força de sua escrita e sinceridade de expor seus problemas sem alguma vergonha, de expressar suas opiniões que eram fortes e na maioria das vezes um tanto agressivas, do que por contar histórias em si, já que também eram baseadas em sua realidade e ele era assumido o personagem principal de seus contos e romances. Mas se pegar o documentário Tapes e ver, e ver suas opiniões e ir lembrando de seus livros, vai perceber que na verdade seu personagem, ou seja, ele mesmo, ele era um puta babaca nesse sentido, de falar, fazer ou apoiar causas e colocar pessoas como gênios ou como idiotas por ele não concordar com alguma coisa sobre elas. O Ego sempre será um vilão, inclusive para os que são gênios, que se acham mais do que são. Continuo lendo e vendo suas obras por que gosto da sinceridade latente, ela dá forças pra você seguir no caminho do bem, acreditando fazer a coisa certa, coisas boas para outras pessoas. Você não pode simplesmente desistir e falar que está esperando a morte, bebendo e fumando seus cigarros, criticando outras pessoas e colocando umas acima das outras através de julgamentos que são bem vazios por sinal.

Era essa coisa de se declarar um alcoólatra que se interessava por relações pessoais, e em sua maioria com mulheres desajustadas e garrafas de cerveja e vinho baratas. Sem ter vergonha disso, de usar disso inclusive para ser criativo, para ser forte e continuar sua busca com a escrita. Isso fazia a sua magia. Relatos duros e pesados de perrengues que ninguém quer passar, mas que como sua cara e seu corpo cheio de cicatrizes por suas escolhas, por enfrentar ao invés de fugir, romantizar as mazelas da vida e dar um sentido naquela loucura toda que foi sua pobreza física em alguns momentos em que só tinha um lápis e os cantos de jornais velhos para escrever. Quase 10 anos após ler o primeiro livro dele, fico feliz por hoje ter aprendido ou pelo menos tento praticar esse filtro, sabendo que todos temos defeitos e qualidades, e o que me importam são as coisas boas que posso tirar das feiuras que o velho safado contava em seus livros.

Aqui vocês podem ver o filme do qual baseei meu conto em homenagem ao mestre Buk: https://youtu.be/KfOtQQY14qM

Autor: pericles

Uma pessoa apaixonada por artes em todos seus âmbitos, um artista, um professor, um escritor entusiasta desenhando com letras! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s