Todos os dias…

Como? Ficou pensando e pensando sobre aquele assunto e deu muitas risadas na sessão de terapia tentando confirmar para si mesmo que não estava ficando louco…

subiu as escadas correndo e ao chegar ao andar de cima olhou para todas as direções e continuou correndo… e para cima… e rápido… e subindo… desviava de algumas coisas que não tinham definição ou formato…

sentia uma vazio imenso dentro da cabeça, portanto… por que estava tudo uma grande bagunça… sim, não, quer dizer, não era uma pergunta, é um sentimento… sabe daqueles que te deixam perdido, porém, existe alegria…

encontrou pessoas que questionavam o caminho, não o seu, senão aquele que fala sobre um tal sentido, ou dar sentido pra vida… pro viver… dia a dia… nesse calendário bizarro e cego…

aquela cachorrinha estava velhinha e arranhava o soalho da casa incansavelmente… os galhos da sua árvore estão balançando sendo alisados pelo vento… e um pequeno chafariz jorrava arco-íris sem parar… a cachorrinha latiu…

alguém respondeu lá do outro lado da linha… que as linhas imaginárias separavam os seres humanos, que separavam-se por dentro seus sentimentos… hora de acordar, o alarme o lembrou…

sem chances, pulou da cama gargalhando e foi viver mais um dia sem entender lhufas do que estava acontecendo…

Agradeceu!

Encontrava-se às margens de um enorme paredão de pedras… tão grandes e sem nenhuma saliência aparente, que o fazia pensar sobre como alguém poderia escalar um lugar como aquele…

Algumas formas vendes e marrons de uma vegetação espaçada lembrava-lhe árvores, contudo o desenho aparecia como uma máscara e as formas que surgiam movimentavam-se como pássaros e peixes…

Tudo era tão amplo em sua visão e poder contemplar tudo aquilo ao vivo era espetacular demais… quantas informações podemos captar da natureza se estivermos abertos a ela… e era pra ser uma pergunta, no entanto ele precisou olhar mais e mais e mais… muitas e muitas sensações e a permissão deixava raios de sol atravessarem nuvens, matas verdes, refletia nas pedras e acendia amor dentro dos olhos, onde tudo brilhava de uma maneira intensa e continua…

Pensamentos voavam aleatórios e ele viu maldade nos olhos das pessoas… e viu outros sentimentos também… viu algo bom, apertou os olhos, piscou várias vezes e depois, fechou-os devagar… parecia uma flor vermelha sozinha no meio de tanto verde…

Olhou para baixo de novo, não sabia medir aquela altura… e dentro de sua grandeza interior, conseguiu se colocar singular e pequeno o suficiente para entender sua passagem pela terra… e sorriu um largo e demorado abraço…

Luto!

quantas mortes são necessárias para entendermos a importância de falarmos sobre ela? quantas maneiras existem de morrer e quantas delas classificamos como “normal”? quantas dessas mortes que vemos acontecer todos os dias em todos os lugares onde há vida, quantas dessas estarão ao nosso lado?

o entendimento de que cada ser vivo irá morrer, e o escolher a maneira de viver bane essa ideia, com medo ou nojo desse tema que deveria ter mais carinho, pois de qualquer coisa que você pense, invente, tente, faça, sinta, a única certa de acontecer é a morte… democrática pois irá acontecer com todos, mesmo!

Mudei!

é aquela hora da mudança, sabe, vocês conhecem muito bem… acontece várias vezes na vida, além de ser algo bem físico e sentido pelo nosso corpo, e… a grande sacada é que se conseguimos perceber as sutilezas diárias desse movimento contínuo (ou pelo menos assim o entendemos), aquilo de viver numa paralela positiva rola mesmo!

Muitas risadas entre aquelas duas pessoas amigas que haviam se entregado para uma vida de mudanças completas, do exterior total, de casa e paredes, suas tintas fugindo com o tempero da natureza que castiga delicadamente cada tijolo…

que construiu nossos seres, especiais e particulares, somos seres incríveis, usinas de energia completa e funcional, que como qualquer coisa, irá durar por um tempo… aquele que não entendemos e muitas vezes desperdiçamos por não aceitarmos a mudança…

Sara levantou-se do enorme pufe em que estava agarrada junto a um novo “monstro” de sentimento que apareceu para si, e se identificou na hora! apesar de não conseguirmos definir muito bem, podemos dizer que a Mudança se parece muito com uma gata bemmm crescida!

Tudo Liga ao Centro…

é agora! teve gemidos altos, as histórias que as estradas contam, o que aconteceu entre quatro paredes e fora delas principalmente, sentem-se minhas queridas pessoas e ouçam com atenção, esse gemido de prazer, descontrole e tesão, estradas e luas contam, sorrindo o que vocês escondem, ou mentem para si mesmas, “eu não faço isso não!”, morrendo de vontade e morrendo de tesão!

vai embalando nesse ritmo pulsante, o corpo dança com movimentos moles e geométricos, foi o que ela comentou, “você dança geométrico!” e caíram na risada… foram com tantas pessoas legais que aquele cara trombou na estrada, os locais de chegada, casas e bares, lugares aleatórios… aonde é que eu estou, e mesmo sem saber, sabia sim, sentia o frisson no umbigo…

e aquele conto viria a se tornar uma lenda, de alguém que se envolveu com a vida, que deixou a alegria tomar conta, que entendeu que responsabilidade tem haver é com fazer o que gosta, e que sim que bom terão caminhos tortos, “hard” e tudo aquilo que não queremos ao sermos obrigados a usar alarme para levantar as 6:30 da matina… sem mais!

ao se lembrar e se parar para pensar só um pouquinho, as contas não batem por que você só vem uma “vezinha“, aproveita esse tempo e vai relaxar meu amiguinho!

fecha os olhos um pouco, sente a escuridão tomar conta e ser boa, o vazio dentro de toda expansão que sua mente alcança… medite… deixe sair isso tudo daí… e volte para cá sentindo os calafrios pelo seu corpo, adormecido voltando para um abrigo aconchegante no umbigo…

é tem mais um sim, voltou a imaginar como seria, aquela ação inteira sentindo a euforia… pessoas irão ver e falar, o auge irá voltar, cada um na sua vida e na sua sequencia, altos e baixos em potência, sinta e sente tudo, está no centro do corpo, aonde o prazer do gozo chega, quando os olhos se cruzam e as salivas molham corpos exaustos do universo… sinta no umbigo!

Resiliência!

Eu estive escrevendo sobre coisas aleatórias a minha vida inteira?… esse sentimento de não saber aonde o caminho vai levar, e ao olhar pra trás não gostar muito do caminho que vê… aquilo que já foi… já…. foi!

seres humanos pensam juntos, e quando isso ocorre uma explosão brilhante de boa energia é emanada… isso é sentido, por nós dentro do corpo, por dentro da pele, uma tremedeira que não se controla…

mas, o que estava lá fora então? o que tinha de tão interessante para se contar, sobre o cotidiano, rotinas ausentes de almas destoantes… usar sentimentos sórdidos que corroem a alma faz qualquer poeta ser um grande ser das letras, mas é doloroso demais, e como artista já possuo sensibilidade o suficiente para usar as palavras para voar aonde os traços não me levam…

eu preciso dos dois, jamais conseguirei escolher uma só, e na real eu nem gostaria de ter que passar por tal disputa interna… a batalha do artista já é em seu próprio lugar de cultura a sua fala direta através de cores e caligrafias…

lembrei-me de diversas histórias, e me coloquei em terceira pessoa, iria viver o personagem como tantos outros fazem e fizeram, nada de novo, a não ser o jeito de contar o que foi vivido… mesmo que a maioria das vezes, a ficção pareça bem melhor que a realidade do calor intenso de um dia qualquer…

clichês e rotinas… quem não quer fugir da sua casca particular, trocar como fazem os répteis que trocam de pele, deixando pra trás parte de sua história, aquela que não lhe interessa, que só é um peso morto… e nesse caso literalmente… troquemos nossas peles, eu quero deixar para trás muitas coisas inúteis, memórias que não servem para criar algo bom… e deixar fluir as de alegria que irão causar frisson…

de a volta e mire seu olhar, lá fora estará, muitas coisas boas para acontecer, é através das histórias que irei contar, sigam os contos pois são curtos, e deixem a força surgir e sintam seu impacto, pois são enormes!

Arte + Design = Lindezas!

https://www.colab55.com/@periclesemr

Gente linda estou com uma loja transformando minha arte em produtos lindos, me reinventando nesse momento alucinado, pedindo amor e paz pro mundo todo!!!! ✌️😘😊

https://www.colab55.com/@periclesemr

#apoiemartistasindependentes